Calote revolta atletas no EFC Brasil

O que era para ser um final de semana repleto de lutas acabou em calote e confusão em Sorocaba, interior de São Paulo. A primeira edição da feira Expo Fight Championship, que contaria com seminários e eventos de luta no último final de semana, marcou uma sucessão de desencontros e promessas descumpridas, para a revolta de dezenas de lutadores e atletas, como Fábio Maldonado, Cristiano Marcello e Claudinha Gadelha, entre outros, que deixaram a cidade sem lutar nem receber o valor de seus contratos, e do público, que pagou pelos ingressos e não teve o dinheiro devolvido.

A confusão começou na noite de sábado, quando aconteceria a pesagem do evento. Pelo contrato, o valor da bolsa seria pago integralmente após a pesagem, mas a organização avisou aos atletas que o dinheiro seria pago horas depois. Porém, o combinado novamente não fora cumprido, tendo os atletas recebido nova promessa de recebimento no dia seguinte. Os atletas que lutaram no sábado receberam parte do valor prometido em dinheiro e outra em cheque, mas foi preciso muito trabalho para conseguir receber a grana.

SHOGUN E DRYSDALE TAMBÉM TOMAM CALOTE

Além do evento de MMA, o domingo contaria com uma tarde de autógrafos com o campeão do UFC, Maurício Shogun, e um seminário com seu irmão, Murilo Ninja. Um ônibus lotado de jovens chegou para o seminário de Ninja, mas a organização não apareceu para devolver o dinheiro e muito menos pagar o ex-lutador do Pride. “Até agora eu não sei o que aconteceu”, conta Ninja, revelando que a marca Bad Boy pagará a todos seus atletas envolvidos no evento, diminuindo o prejuízo de seus atletas. Outro prejudicado foi Robert Drysdale, que não recebeu o dinheiro pela passagem para os Estados Unidos.

Responsáveis pela organização do evento, Alessandro Campanini e Álvaro prometeram voltar às 15 horas para organizar o evento e pagar as devidas bolsas, mas novamente não apareceram. Revoltados, alguns chamaram a polícia para registrar ocorrência contra os responsáveis pelo evento. “Era para ter lutado no domingo, mas o evento foi cancelado antes de começar. Deu um baita rolo. No domingo, chego para lutar, portão fechado e os seguranças não queriam me deixar entrar”, se revolta Jorge Michelan, que enfrentaria Maiquel Falcão.


Atleta do UFC, Thiago Tavares levou quatro atletas de carro de Florianópolis para Sorocaba e acabou arcando com um prejuízo de R$ 1200. “É complicado, os atletas vivem disso, gastam dinheiro com treinamento e acontece isso. São eventos assim que prejudicam a imagem do MMA. O Campanini e o Álvaro sumiram do mapa, não atendiam o telefone nem nada”, se revolta Thiago, explicando que apenas um de seus atletas foi pago, pela luta de sábado, mas recebeu apenas 50% da bolsa. “Tinha atleta do Rio de Janeiro que não tinha dinheiro para ir embora”, conta.

A equipe da TATAME tentou entrar em contato com a organização do evento, mas todos os telefones estavam desligados e os e-mails não foram respondidos. A marca Rudel Sports, responsável pela venda dos ingressos, enviou uma nota de esclarecimento sobre o ocorrido, se isentando de toda responsabilidade com a falta de pagamento dos atletas e não devolução dos ingressos. Confira a nota abaixo:

RUDEL SPORTS vem a público esclarecer que celebrou um Contrato de Locação de Espaço com a BOX PROPAGANDA (L. de O. NADIA PROPAGANDA E PUBLICIDADE, inscrita no CNPJ nº 10.742.321/0001-15 e Inscrição Municipal 305.686), organizadora do evento EFC Brasil (Expo Fight Championship), cuja realização estava programada nos dias 21 e 22/08, na sede do Clube União Recreativo Camprestre;

Assim, cumpre esclarecer ao público que RUDEL SPORTS NÃO participou da organização do evento EFC Brasil, figurando simplesmente como EXPOSITORA no evento;

Que a sede da empresa foi utilizada como ponto de venda de ingressos antecipados, cuja renda arrecadada foi integralmente repassada para a organizadora do evento.

RUDEL SPORTS repudia veementemente os fatos ocorridos e o total desrespeito da organização do evento com o público, atletas e expositores.

Informamos que os prejudicados devem procurar a organizadora do evento para ressarcimento de eventuais prejuízos.

Encontramo-nos à disposição para quaisquer esclarecimentos que se façam necessários.

RUDEL SPORTS”

Fonte: Tatame

Deixe um Comentário